Voltar
Gustavo Rocha

Gustavo Rocha

Porto Alegre

Membro desde fevereiro de 2019

Biografia

Advogado, consultor nas áreas de gestão, tecnologia e marketing jurídico. Robôs, Jurimetria e inteligência artificial na área jurídica.

Formação acadêmica

UNIVALI - UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ - SC - Itajaí

  • Pós-Graduação em Direito Empresarial
  • Pós-Graduação

Publicações

Artigo Jurídico

Alterações a LGPD: Mais do que lobby, precisamos compreender a lei!

Uma recente proposta de alteração a Lei Geral de Proteção de Dados enviada ao Congresso Nacional pelo Deputado Alex Santana (PDT – BA) quer excluir as instituições religiosas da lei, equiparando as mesmas as atividades isentas, como matérias para fins jornalísticos.A justificativa para tanto é o preceito constitucional de liberdade religiosa, onde a Lei Geral de Proteção de Dados poderia ferir a liberdade ao querer tutelar os dados com as sanções e regras previstas.Há no mínimo três elementos que ao meu sentir são diversos desta tese levantada pelo deputado, demonstrando que as instituições religiosas devem se adaptar tanto quanto outras empresas e passo aqui a discorrer sobre elas.Antes, porém, faço um alerta importante: As ideias aqui contidas são exclusivamente técnicas sob o prisma da lei e sua interpretação, não contendo nenhum cunho religioso ou viés contrário a religiosidade.1. A ideia proposta representa um lobby de um setor que não quer se adaptar…
Ver mais
Artigo Jurídico

Estamos sob ataques eletrônicos: Como se defender?

Superior Tribunal de Justiça, site do EPROC no Tribunal de Justiça do RS e eleições no Brasil em 2020, o que estes eventos tem em comum? Todos sofreram ataques eletrônicos e estiveram em alerta de segurança.Se de um lado temos ataques de DDOS (onde as máquinas obedecem a um computador “mestre” como “zumbis” – nada novo, há relatos deste tipo desde anos 90) como relatado pelo Ministro Barroso logo após o término da votação do primeiro turno de domingo, ataques de Deface (como exemplo do EPROC, onde o site foi invadido e modificado, com um recado do invasor e não o sistema em si) ou um ataque de ransomware como o do STJ (uma espécie de vírus que bloqueia acesso aos arquivos), de outro temos equipes inteiras de tecnologia da informação tentando evitar tais fatos tão nocivos a sociedade.E na realidade privada não é diferente: Temos que aprender a lidar com as questões tecnológicas da vida atual, seja para segurança dos nossos dados, seja por questões de proteção…
Ver mais
Artigo Jurídico

Além do STJ, o susto desta vez foi na página do EPROC!

No dia 11 de Novembro de 2020 um hacker invadiu uma página de acesso e informações que leva ao sistema EPROC do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.Rapidamente, muitos divulgaram que o EPROC (sistema) foi invadido – visto que a página que tem o link para o sistema principal foi modificada com foto do hacker e dizeres relacionando a justiça ser injusta – o que causou comoções no meio jurídico e fora dele.Explicando em termos simples o que aconteceu:Tecnicamente, tivemos o que é conhecido como Deface, ou seja, houve um acesso a uma página simples de internet e o hacker mudou esta página;Não houve em nenhum momento invasão clara ou explícita do sistema EPROC;A página voltou ao normal em menos de 60 minutos.Embora não tenhamos passado de um susto, o alerta permanece, uma vez que algumas perguntas básicas não foram respondidas:Como um hacker conseguiu acesso aquela página de entrada do EPROC dentro dos servidores do TJRS?Se ao invés de querer aparecer…
Ver mais
Artigo Jurídico

PIX, golpes e LGPD

O meio de pagamentos de forma instantânea chamado PIX entra em vigor em 16 de Novembro de 2020 e trata-se efetivamente da resolução I do Banco Central do Brasil, instituída em 12 de Agosto de 2020.Este modelo permitirá que todas as pessoas sem informar seus dados possa receber e fazer transferências de forma instantânea, sem custos, em qualquer instituição financeira, mesmo que não possua conta/cadastro na mesma.Basta na sua instituição financeira cadastrar a chamada “chaves” e pronto, com este dado, você pode movimentar valores sem precisar de dado nenhum a mais. Estas “chaves” podem ser seu cpf, email, apelido, entre outros.E há quem já percebeu nisto oportunidades para dar golpes no mercado. Mais de 60 sites já foram retirados do ar por tentarem enganar as pessoas em cadastros falsos, sem contar as quantidades de emails, ligações e outros que tentar “pegar” nossos dados para supostamente cadastrar no PIX, sendo na verdade, um grande engodo.Regra importante:…
Ver mais
Artigo Jurídico

Invadiram o STJ e apagaram 1200 servidores. O que temos a aprender com isto?

Cena que tem se repetido no mercado corporativo já fazem muitos anos: Invasão de computadores para se pedir resgate ou simplesmente para inutilizar os arquivos, fazendo com que o trabalho seja perdido.Fato que diria corriqueiro, se não estivéssemos falando de uma das mais altas cortes do país.Tirando o aspecto político da invasão, temos um alerta vermelho para o fato: Ele não é isolado e tem assolado todos os dias com notícias similares no mundo todo.Mesmo aquelas invasões que muitos concordam, seja por fins políticos (partidários ou não), seja pela suposta “nobreza” da causa da invasão (aqueles que pensam que foi merecida a mesma), temos que compreender que isto nos traz insegurança jurídica e perda da paz social.De um lado, devemos aprender que nenhum servidor (máquina onde se armazenam os documentos) é impenetrável. Prova disto que já invadiram todos os tipos de servidores no mundo (NASA, CIA, Casa Branca, Moscou, Governo Brasileiro e outros, empresas como Microsoft,…
Ver mais
Carregar Mais

O LinkLei utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para armazenar estatísticas e ações de usuários, para melhorar sua experiência ao utilizar nossa plataforma. Para mais informações consulte nossa política de privacidade.

Ops! Você precisa estar logado para poder enviar mensagens!

Para acessar o conteúdo completo, efetue login ou crie uma conta.

Fazer Cadastro

Recuperar Senha

Termos e Condições

DA REDE SOCIAL LINKLEI

DO OBJETO

Estes Termos e Condições de Uso, em conjunto com a nossa Política de Privacidade, estabelecem os termos e condições aplicáveis à utilização de todos nossos serviços que serão prestados pela marca da empresa LinkLei (entre eles: plataforma e APP's). Necessária e imprescindível a leitura dessas normas, incluindo aquelas advindas da Lei nº 8.078/1990 (“Código de Defesa do Consumidor”), da Lei nº 8.904/1994 (“Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil”) e do Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil. Ao utilizar nossos Serviços, o usuário assume e expressamente concorda com estes Termos e Condições de Uso.

A rede social LinkLei é registrada sob CNPJ nº 33.282.769/0001-07 (LinkLei Tecnologia da Informação Ltda.), com sede à Rua Domingos Oliva dos Santos, nº 90, segundo andar, bairro Villagio Iguatemi, Caxias do Sul-RS, CEP 95012-320. Você pode entrar em contato conosco pelo e-mail: linklei@linklei.com.br

A rede social LinkLei oferece um serviço pelo qual advogados, estudantes, bacharéis e cidadãos participam de uma rede social voltado à interação entre clientes e profissionais. Os profissionais possuem acesso a serviços contratados como acesso ilimitado ao perfil da rede social, correspondentes jurídicos, grupos de discussão, vagas de emprego e serviços. De outro lado, os cidadãos podem localizar o profissional por meio de uma lista em que a ordem se dá pela preferência aos que mais se engajam nas atividades do portal. Veja mais em: https://www.linklei.com.br/como-funciona

DOS PLANOS

  1. PLANO ADVOGADOS, ACADÊMICOS E BACHARÉIS

Benefícios:

  • Perfil profissional visível para cidadãos de todo Brasil com prioridade na busca através do fator de multiplicação de pontos.
  • Seleção de 10 cidades de atuação e 5 especialidades jurídicas.
  • Acesso a maior rede social profissional jurídica do Brasil. 
  • Acesso aos serviços de correspondentes jurídicos de todo país.
  • Acesso ilimitado a artigos e peças jurídicas.
  • Publicação ilimitada de peças e artigos.
  • Possibilidade de contato de clientes através do perfil do advogado.
  • Conversar de forma privada com os profissionais cadastrados na rede com a viabilidade de troca de documentos.
  • Criar e participar de grupos de discussões públicos ou privados, inclusive com a opção anônimo.
  • Opção de estar na lista de advogados plantonistas.
  • Acesso às vagas de empregos por cidade e especialidade (estágios e vagas de advocacia). 
  • Conta verificada com o selo de profissional cadastrado na OAB.
  • Participação na política de pontos da rede social.  
  • Acesso ao número de visualizações do perfil.
  • Conteúdos diários de tecnologia na área do Direito. 
  • Mobilidade com todos os serviços no APP LinkLei. 

      2. PLANO UNIVERSIDADES

Entre em contato conosco e conheça nossos planos para universidades: linklei@linklei.com.br

Benefícios: 

  • Perfil da instituição: conteúdo corporativo para divulgação da sua marca em nossa plataforma jurídica.
  • Palestra Semestral: todo semestre realizamos nas universidades palestras sobre a aplicação de tecnologias no setor jurídico. Seja um curso de Direito inserido na transformação digital.
  • Participação no projeto Acadêmico Destaque: nova forma de recrutamento, conectando os seus alunos com os melhores e mais conceituados escritórios de advocacia do país.
  • Ferramentas de divulgação da sua marca: direcione seus conteúdos a toda nossa base de usuários com taxas de desempenho. 
  • Dashboard: tenha acesso a análise de dados e direcione de forma mais assertiva sua estratégia de mercado. Saiba os índices de empregabilidade dos seus alunos e egressos.

       3. PLANO ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

Tenha um escritório inserido no mundo das novas tecnologias e transforme seu time em uma referência, captando os melhores talentos!

Fale conosco e conheça nossos planos: linklei@linklei.com.br.

Benefícios:

  • Perfil do Escritório com conteúdo corporativo: mostre sua marca ao mercado jurídico.
  • Participação do Acadêmico Destaque: nova forma de recrutamento, tornando a captação de talentos mais eficaz.
  • Publicações Ilimitadas de Anúncio de Vagas de Emprego/Estágio: capte e retenha os melhores profissionais do meio jurídico.
  • Download dos Currículos Inscritos: banco de currículos de acadêmicos, advogados e bacharéis.

Obs.: As vagas de emprego poderão ser publicadas apenas por páginas institucionais dos escritórios de advocacia na aba "Plano de Carreira", pois exclusividade deste serviço. Vagas que sejam publicadas por outros usuários (como posts ou artigos jurídicos), os quais não são escritórios de advocacia, serão imediatamente excluídas. 

     DOS PONTOS PARA GAMIFICAÇÃO

     1.Pontos

A política de pontuação é o que ditará a atribuição de prioridade na exibição do perfil do profissional sobre os demais perfis listados, ou seja, quanto mais o profissional se engajar dentro da rede social, mais à frente dos outros se posicionará.

A pontuação funcionará da seguinte maneira:

Os pontos funcionarão da seguinte maneira:

  • Cadastro de artigos/peças/modelos/vagas de emprego: 10 pontos por cada
  • Novo comentário em publicação: 5 pontos por cada
  • Convidar amigos: 20 pontos
  • Cadastro Novo Grupo de Discussão: 10 pontos
  • Resposta Grupo de Discussão: 10 pontos
  • Cadastro formação acadêmico - Graduação: 5 pontos;
  •    Cadastro formação acadêmico - Graduação em Direito: 10 pontos;
  •    Cadastro formação acadêmico - Pós-Graduação: 10;
  •    Cadastro formação acadêmico - Mestrado: 15;
  •    Cadastro formação acadêmico - Doutorado: 20;
  •    Cadastro formação acadêmico - Pós-Doutorado: 30;
  •    Cadastro formação acadêmico - Outros/extensão: 2;
  1. Fator multiplicador de 2 em todos os pontos acima. Exemplo: publicou vaga de emprego, ao invés de 10 pontos, ganhará 20 pontos.
  2. A pontuação estará sujeita a mudanças de regras, as quais serão informadas via e-mail.

 

DA ACEITAÇÃO DOS TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO

Todos aqueles que desejarem ter acesso aos serviços ofertados através da marca LinkLei, primeiramente, devem se informar sobre as regras que compõem o presente instrumento, as quais ficarão disponíveis para pronta consulta em um link no rodapé do próprio site.

Ao utilizar a rede social LinkLei, o usuário aceita integralmente as presentes normas e compromete-se a observá-las, sob risco de aplicação das penalidades cabíveis. Antes de iniciar qualquer navegação no site, o usuário deverá cientificar-se de eventuais modificações ou atualizações ocorridas nestes termos.

Caso não concorde com quaisquer das regras aqui descritas, o usuário deve, imediatamente, abster-se de utilizar o serviço. Se for do seu interesse, poderá, ainda, entrar em contato com o serviço de atendimento ao cliente, para apresentar-lhe as suas ressalvas.

Os presentes termos e condições gerais de uso aplicam a todas as extensões do site LinkLei em outras redes sociais ou em comunidades.

DAS RESPONSABILIDADES

O LinkLei não é responsável pelos conteúdos produzidos por cada profissional (advogado, bacharel e estudante), sejam eles artigos, peças e modelos, informações sobre vagas de emprego e demais serviços. Além disso, o LinkLei não dá qualquer garantia a respeito dos serviços de terceiros (advogados, bacharéis e estudantes), visto que apenas disponibiliza uma lista de profissionais de acordo com o seu engajamento na rede social.

O LinkLei não é intermediário ou genciador de serviços advocatícios e/ou de correspondência jurídica. O site apenas facilita o encontro pelos cidadãos ou advogados de profissionais em sua cidade por especialidade. O LinkLei recomenda que o usuário verifique e confirme a suficiência e confiabilidade destes serviços de acordo com o perfil de cada profissional. Ademais, a rede social LinkLei também não se responsabiliza pelo conteúdo das informações prestadas na ferramenta de contato com cada profissional, ficando a cargo destes a responsabilidade das informações prestadas, bem como de seus serviços contratados.

A rede social LinkLei não é responsável pelo inadimplemento de honorários advocatícios ou de valores por serviços de correspondência tratados dentro da rede, fica a cargo exclusivamente dos envolvidos nas tratativas.

Assim, a rede social LinkLei não é responsável:

- Por qualquer direito ou obrigação relativos à eventual contratação através da rede social, e não se responsabiliza por pagamentos não realizados de correspondências ou honorários advocatícios.

- Pela qualidade dos serviços prestados pelos advogados e/ou correspondentes;

- Pela precisão ou veracidade dos dados ou das recomendações dos perfis dos advogados e/ou correspondentes.

- Pela observância das condutas e regras da ordem dos advogados do brasil (“oab”) pelos advogados e/ou correspondentes.

O LinkLei será responsável apenas e tão somente pelo conteúdo e funcionalidade das ferramentas eletrônicas e facilidades que disponibilizar diretamente ao usuário (entende-se aqui os advogados, os bacharéis, os estudantes e os cidadãos).

Assim, nas hipóteses em que o usuário ou algum terceiro ajuíze qualquer tipo de reclamação ou ação legal contra os prestadores de serviços, todos os envolvidos nestas reclamações ou ações expressamente eximirão o LinkLei, e seus sócios, a qualquer título de toda e qualquer responsabilidade.

Lembrando que a rede social LinkLei é destinada a pessoas físicas capazes e pessoas jurídicas devidamente representadas e a advogados devidamente inscritos nos quadros da OAB.

A rede social LinkLei recomenda que a utilização dos serviços do site pelos Usuários não ocorra em confronto com as determinações da OAB com relação à prestação de serviços de diligências e outras atividades de suporte à prática jurídica.

DO CONTEÚDO

O LinkLei, juntamente com seus usuários, irá se esforçar para manter o seu conteúdo atualizado e completo, livre de quaisquer defeitos ou vírus. Contudo, não é responsável por esses e outros possíveis problemas. Podendo a qualquer momento, sem prévio aviso, alterar o conteúdo.

Parte das informações disponíveis no site são geradas e transmitidas por terceiros, sem o envolvimento ou responsabilidade da LinkLei. Nunca será alterado o conteúdo que for produzido por terceiros.

Oferecemos a possibilidade de os advogados, estudantes, bacharéis e correspondentes publicarem artigos e textos que possam ser do interesse dos cidadãos que utilizam a plataforma.

As opiniões e posições apresentadas nestes artigos não correspondem, necessariamente, a posição do LinkLei, que não terá qualquer responsabilidade sobre o conteúdo gerado por terceiros.

O LinkLei poderá, a seu exclusivo critério, realizar periodicamente uma triagem sobre o conteúdo publicado, o que não significa qualquer tipo de endosso, apoio ou concordância com o conteúdo exposto na rede social.

A reprodução de qualquer texto no LinkLei depende de prévia e expressa permissão do respectivo autor e, se for o caso, também da rede social, conforme descrito nesta página, sem prejuízo da devida menção aos nomes do autor e da fonte.

O LinkLei preza que todos os profissionais que publiquem seus artigos no site tenham os direitos para fazê-lo. Caso encontre algum artigo, texto ou outro conteúdo que constitua plágio ou violação de direito de terceiro, não hesite em entrar em contato conosco. Para comunicar uma violação, envie-nos um e-mail no endereço linklei@linklei.com.br

O usuário concorda em usar a rede social de boa-fé, sem usar, carregar, transmitir ou enviar ao site qualquer material:

-. Que seja de cunho violento ou ameaçador, difamatório, obsceno, ofensivo, pornográfico, abusivo, passível de incitar qualquer forma de ódio racial, discriminatório ou em violação de privacidade de terceiro;

-Para o qual não tenham sido obtidas pelo usuário todas as licenças e/ou aprovações necessárias;

- Que constitua ou incite condutas que possam ser consideradas ilícitos criminais ou civis, que violem direitos de terceiros seja no Brasil ou no exterior ou que sejam meramente ilegais sob qualquer outra forma;

- Que sejam tecnicamente danosas, incluindo, mas não limitado a vírus de computador, macros, “cavalos de tróia”, worms, componentes maliciosos, dados corrompidos e outros programas ou dados de computador maliciosos ou que sejam projetados para interferir, interromper ou derrubar as operações normais de um computador; e,

- Que tenha como objetivo fraudar, dissimular ou comprometer o bom funcionamento da rede social ou a escolha dos usuários quanto à contratação de advogados, seja pela criação de perfis falsos, violação de protocolos de segurança ou qualquer outro meio.

Você deve zelar para que seu uso do site e dos serviços não seja prejudicial à estabilidade e disponibilidade destes. Caso isso ocorra, você poderá ser responsabilizado pelos prejuízos a que der causa.

O LinkLei poderá ser requerida a cooperar com autoridades e com diligências judiciais que visem a identificar os usuários que atuem em descumprimento com as disposições deste item.

O LinkLei poderá, a qualquer momento e a seu exclusivo critério, adicionar ou remover conteúdos e funcionalidades do site sem que isso caracterize, sob qualquer forma, ofensa aos direitos adquiridos dos usuários.

O LinkLei não se responsabiliza por qualquer divulgação de dado sigiloso de processos em tramitação ou baixados que venham a fazer parte dos grupos de discussão ou de conversas trocadas entre os profissionais associados à rede social.

DO CADASTRO

 Para o devido cadastramento na rede social, o profissional contratante deverá inserir todas as informações solicitadas. Estas devem ser verdadeiras e atualizadas. O profissional deverá fornecer um endereço de e-mail válido, através do qual o site realizará todos os contatos necessários.

A rede social aceita o cadastro de advogados, bacharéis e estudantes de Direito que comprovem tais condições, contudo, apenas haverá perfil público dos advogados inscritos de forma regular na OAB comprovado através da verificação da conta. Caso os usuários bacharéis e estudantes de Direito venham a adquirir seu registro na Ordem dos Advogados do Brasil, poderão requer a mudança de perfil através de contato com o suporte.

Todos os profissionais contratantes comprometem-se a não fornecer informações sobre os dados pessoais cadastrados, tais como login e senha, sendo a utilização dos mesmos de sua inteira responsabilidade.

O profissional contratante poderá, a qualquer momento e sem a necessidade de justificação, requerer o cancelamento do seu cadastro junto à rede social LinkLei. Sendo que o cancelamento da conta na rede social LinkLei em nenhuma hipótese escusará o usuário contratante do cumprimento de obrigações previamente assumidas perante o LinkLei e outros usuários.

Para o profissional ter seu perfil validado, deverá anexar os seus documentos profissionais (carteira da OAB).

DOS PLANOS E DO PAGAMENTO

A utilização da rede social é gratuita para advogados, estudantes, acadêmicos e bacharéis.

Perfis institucionais (Universidades, Escritório de Advocacia e Legaltechs) deverão entrar em contato pelo e-mail linklei@linklei.com.br para contratação e assinatura contratual.

DO ADVOGADO DESTAQUE DO MÊS

Os profissionais inscritos na plataforma liberam a sua imagem para que sejam escolhidos como "Advogado Destaque", momento este em que haverá divulgação do seu perfil nas redes sociais do LinkLei (Facebook, Instagram e Feed de Notícias da plataforma). o "Advogado Destaque" é escolhido através do seu engajamento na plataforma.

DOS DADOS

Ao concordar com o presente termo, o usuário permite a coleta, a análise, o processamento e a transferência de seus dados. 

DOS E-MAILS E NOTÍCIAS

Com a aceitação destes termos, os usuários permitem o envio de e-mails com atualizações e informações da plataforma, assim como dos conteúdos tratados no ambiente.

DA FORÇA DO PERFIL

Através de uma evolução de cadastro, o LinkLei estabelece a força do perfil de cada usuário. 

Etapa 1: cadastro completo com endereço, áreas de atuação e formação acadêmica.

Etapa 2: verificação da conta através da foto do documento da OAB. 

Etapa 3: descrever sua biografia como profissional

Etapa 4: adicionar algum amigo a sua rede. 

Etapa 5: escrever um artigo jurídico. 

Após cumprir todas as etapas, seu perfil será considerado forte, visto que o cliente terá acesso a boas informações sobre sua vida profissional. 

DEMAIS CONDIÇÕES

Caso você esteja usufruindo de nossos serviços fora do Brasil, você será responsável pelo cumprimento das leis locais, na medida em que forem aplicáveis.

Estes Termos e Condições de Uso, bem como qualquer outra disposição referente ao uso do site, não estabelece qualquer vínculo societário, trabalhista de representação, agenciamento, consórcio ou de qualquer outra natureza entre os profissionais e o LinkLei.

Caso o LinkLei deixe de exercer qualquer direito previsto nestes Termos e Condições de Uso, isto não deverá ser interpretado como uma renúncia, abdicação ou revogação de disposição constante destes Termos e Condições de Uso.

Todos os itens destes Termos e Condições de Uso serão regidos pelas leis vigentes da República Federativa do Brasil. Para dirimir quaisquer controvérsias é eleito o Foro da Cidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, exceção feita a reclamações apresentadas por Usuários que se enquadrem no conceito legal de consumidores, que poderão submeter suas queixas que não encontrarem solução amigável ao foro da cidade em que forem radicados, conforme artigo 101, I do Código de Defesa do Consumidor.

O profissional contratante se compromete a observar as regras relativas ao exercício da advocacia, em especial aquelas advindas do Código de Ética e Disciplina da OAB, disponível no link: http://www.oab.org.br/arquivos/pdf/LegislacaoOab/codigodeetica.pdf e do Estatuto da Advocacia e da OAB, disponível no link: http://www.oab.org.br/arquivos/pdf/LegislacaoOab/estatuto.pdf.

É expressamente vedado ao profissional contratante estabelecer honorários abaixo daqueles recomendados pela OAB. Recomendamos que o profissional, antes de estabelecer o valor de seus honorários, verifique a tabela de honorários disponibilizada no site de seu respectivo Conselho Seccional.

Todos os itens destes Termos e Condições de Uso poderão sofrer alteração a qualquer momento sem o prévio aviso. 

Atualizado em 22 de janeiro de 2019.